10
mar
10

Lost S06E04 – The Substitute

Posso dizer que estou um tanto quanto decepcionado. Esperava que “Lost” engatasse neste episódio centrado em Locke, mas parece que a temporada ainda não saiu da segunda marcha. Com muito tempo perdido com andanças na floresta, só houve revelações no final mesmo, mas aí já era tarde demais, não estava mais interessado.

Começando pelo “flash realidade paralela”, vemos o Locke ainda preso na sua cadeira de rodas e no emprego na fábrica de caixas, do qual é logo demitido. Basicamente aqui, tivemos uma jornada na qual John enfim aceitou sua condição como deficiente e de que há realmente coisas que ele não pode fazer, por mais que ele queira. Ao fim, acaba empregado como um professor substituto em uma escola onde o Benjamin Linus paralelo dá aula de História Européia, mostrando mais uma vez que o destino dessas pessoas esteve sempre ligado.

Enquanto isso na ilha, pouca coisa acontece, o Falso Locke, mais conhecido como (F)Locke, tenta recrutar Sawyer para seu grupo. Basicamente o episódio todo foi a caminhada deles até uma caverna, onde a verdade sobre os números malignos começou a ser revelada. Cada um deles (4,8,15,16,23 e 42) correspondem aos seis candidatos restantes, candidatos estes a substituir Jacob no comando da Ilha. Bem, o Locke morreu, o Sayid tá possuído pelo capeta e o Sawyer abdicou do posto, então só sobram Jack, Hurley e Sun/Jin. É… interessante… ok, talvez nem tanto.

Semana que vem é o episódio do Jack. Muitos não gostam do Jack, mas geralmente seus episódios trazem respostas. Mas já aprendi a não esperar nada dessa última temporada.

Anúncios
26
fev
10

24 S08E08 e S08E09 – Day 8: 11:00 p.m. – 01:00 a.m.

Nessas duas últimas horas, a qualidade do oitavo dia de Jack Bauer pouco se alterou. Apesar de alguns momentos empolgantes, os momentos ruins prevaleceram e, com um terço da temporada já exibido, ainda não vejo sinais de melhora à frente.

Com certeza, o que houve de melhor aqui foi nosso agente favorito acabando com todo o grupo terrorista russo. O que começou com a fuga de uma tortura terminou com Jack jogando uma mesa na cabeça do chefão e pondo fim àquela parte da ameaça. Com isso, só falta o irmão mulçumano-emo do presidente ser capturado, e parece que não vai demorar muito, já que ele está dando pra trás e não quer mais ser terrorista. Mas, enquanto isso, o irmão dele está ficando louquinho. É impressionante como uma personalidade muda tão rápido, mas me acabo de rir com o absurdo que se tornou a história dele.

Fora isso, a Renne ficou bem apagada e parece que deixou de lado aquela personalidade loucona que me empolgou alguns episódios atrás. Agora ela está tomada pela culpa e fica chorando o tempo todo, pedindo colo pro Jack. Aliás, adorei a cena dele pegando aquela advogada pelo pescoço e mandando ela ter vergonha na cara. Jack, meu ídolo.

E não esqueçamos de comemorar e soltar fogos, pois a trama da analista da CTU com nome falso acabou! Isso mesmo, depois de tomar minutos importantes em todos os episódios até agora, essa subtrama chegou ao fim com a morte dos malvados que queriam desmacarar nossa criminosa do lado do bem. Isso é um sinal de que em breve, outra subtrama sem graça vai surgir para substituir esta e nos deixar irritados e frustrados da mesma maneira. É… estou com expectativas meio baixas mesmo.

Então, “24 Horas” continua fraca. Nada acontece e o que acontece não empolga. É uma pena.

26
fev
10

Lost S06E03 – What Kate Does

Nossa! Esse foi um daqueles episódios sobre o qual não sei se consigo escrever um texto inteiro. Não aconteceu praticamente nada e é uma grande decepção que um série como “Lost” jogue fora um episódio inteiro da sua última temporada. Ao menos fico feliz que isso tenha acontecido  logo no começo, e como os episódios centrados na Kate são sempre os mais desinteressantes, talvez tenhamos saído no lucro.

No flash-realidade-paralela, Kate continua sua fuga do aeroporto e acaba se tornando próxima da ainda grávida Claire. Esta decide criar seu filho, depois que os pais adotivos dão pra trás e a Kate fica lá felizinha do lado dela ajudando em tudo. E foi só isso. Metade do episódio já comentado.

Já na realidade da ilha, os outros-outros queriam dar ao Sayid uma pílula de conteúdo desconhecido. Lógico que o Jack se intrometeu no negócio e disse que ele não tomaria se não lhe dissessem o que compunha o tal remédio. No fim das contas, o samurai disse que era veneno e que o Sayid tem que morrer. Finalmente alguém com bom senso. Odeio o Sayid e já passou do tempo dele morrer e ficar morto. Fora isso a Kate chorou porque o Sawyer não quer mais ela e o Jin encontrou a Claire suja e ensebada na selva. Esse foi o grande acontecimento do episódio, mas não empolgou nem um pouco.

Então, resta esperar o episódio da semana seguinte. “The Substitute” é centrado em Locke e promete ser mais agitado.

12
fev
10

Lost S06E01 e S06E02 – LA X

O que dizer sobre os primeiros episódios da última temporada de “Lost”? Antes de tudo, vale frisar que os criadores, mais uma vez, inovaram na narrativa. Depois dos “flashbacks”, “flashforwards” e viagens no tempo, tivemos agora o “flashsideways”, que representa uma realidade alternativa. Em vez de responder se a explosão que apagaria a queda do avião na ilha realmente funcionou, os roteiristas resolveram brincar conosco mais um pouco e agora eles mostram as duas realidades paralelamente. Mas algumas particularidades da realidade em que nada aconteceu me levam a crer que ainda haverá alguma pegadinha aí.

Falando primeiro do universo em que eles estão fora da ilha, foi legal rever velhos conhecidos como a Claire, o Boone e o Charlie. Mas é bom perceber que nem tudo está como conhecemos. O diálogo de Jack e Rose (Titanic feelings) estava invertido, o Hurley é sortudo, o Sawyer alertando sobre golpistas. É um conjunto de pequenas diferenças que pode vir a ser crucial no final da série. Afinal, o que é realmente esse universo alternativo?

Dentro da ilha, os que ficaram estão divididos entre o grupo que ficou com o Locke e o que está com o Jack. Vou falar primeiro dos desinteressantes, que são os amigos do Jack. Depois da despedida emocionante da Juliet, que deixou uma mensagem enigmática para o Sawyer e Miles, a história ficou meio chata. Aqueles hippies que estão num templo embaixo do templo do monstro de fumaça não colaram muito, mas enfim. E também a ressureição do Sayid foi um péssimo anti-clímax, pois há tempos quero que esse iraquiano cheio de pedância morra. É como o Sawyer disse: “O amor da vida dele morre, mas o torturador que atira em crianças continua vivo.” Mas segue minha torcida pela morte do Sayid até o fim da série.

Já na praia, as coisas foram bem mais interessantes. Descobrimos que o impostor que está usando a aparência do Locke realmente é o monstro de fumaça e que ele tem alguma relação com o Richard. A cena do fumação matando aquele pessoal foi bem legal.

Para início de temporada foi bom, mas para o início da última temporada de uma série como “Lost”, acho que faltou em causar empolgação. Não foi ruim, mas sinto que podia ser bem melhor. Bem, infelizmente, na próxima semana temos o episódio da Kate, o que é um péssimo sinal já que os  episódios centrados nela costumam estar entre os piores de cada temporada.

12
fev
10

24 S08E06 e S08E07 – Day 8: 9:00 p.m. – 11:00 p.m.

Estou triste, muito triste. Depois dessas últimas horas do oitavo dia de Jack Bauer, estou cada vez mais certo de que essa é a última temporada que veremos dele. O desgaste é bem percebível e o texto fraco e preguiçoso não consegue empolgar nenhum fã. As pequenas esperanças que surgiram com a volta da Renee não vingaram e agora vejo que nem a sexta temporada teve um início tão fraco assim.

Nesses dois episódios, pouco se desenvolveu. Fomos mais uma vez forçados a aturar muito da história sem sentido da funcionária da CTU que é chantegeada pelo ex-namorado. Ela quebrou regras e agora despertou a desconfiança dos colegas de trabalho, que em breve vão descobrir as suas transgressões. Tenso, não é? Não, nem um pouco. Fora que a Chloe está fazendo papel de palhaça. Tudo que ela faz é ficar de um lado pro outro falando mal do taradinho da CTU.

Fora isso, a investigação de Renee e Jack pouco andou. Ela teve que transar com o mafioso, mas no fim pôs tudo a perder por causa de um soco. Tudo bem que a cena dela esfaqueando o Jack me surpreendeu, mas 5 segundos depois ele já estava matando dois terroristas, então a facada meio que perdeu o impacto. Agora o Jack, que estava disfarçado de negociador alemão, foi levado pelo pessoal que realmente tem as armas nucleares, mas não fiquei nem um pouco interessado em saber onde isso vai dar. A única parte que me entretém ainda é o presidente do oriente médio que pirou depois que foi traído pelo irmão emo e agora quer prender e torturar todo mundo. A mudança de personalidade dele foi tão súbita e ridícula que ficou divertido.

Uma das maiores forças de “24 Horas” pra mim era o fato de que a cada fim de episódio, eu ficava desesperado para ver o próximo. Agora isso não aconteceu nenhuma vez. Achava que eles tinham reencontrado o caminho com a sétima temporada, mas parece que foi só uma exceção. Fico triste, pois sinto que estou assistindo à última temporada do meu seriado favorito e despedida vai ser decepcionante.

 

05
fev
10

Loteria Cinematográfica – 5 de Fevereiro

Sexta-feira, dia 5 de feveiro, teremos um fim de semana bem movimentado nos cinemas, com nada menos do que 7 (!) estréias nos cinemas, desde filmes mais comerciais, até o favorito ao Oscar deste ano. Entretanto esse blog só elegerá uma opção digna de atenção para este fim de semana, afinal não podemos ir sempre ao cinema. Então, a Loteria Cinematográfica dará essa valiosa resposta após a introdução de nossos filmes concorrentes.

Guerra ao Terror (The Hurt Locker)

Sinopse: “O dia-a-dia de um grupo de soldados norte-americanos, que trabalha na capital do Iraque, desarmando bombas  plantadas por grupos rebeldes que querem a saída das tropas  do país – rotina suicida que funciona como um vício ao sargento William James.”

Análise: Já assisti a esse filme e posso dizer que é ótima escolha para assistir no cinema. A análise completa dele está aqui, mas posso adiantar que se trata de um filme de guerra, sem baboseiras políticas ou dramas morais, nele temos apenas suspense e tensão em várias sequências de desarmamento de bombas de acabar com os nervos.

Premonição 4 – 3D (The Final Destination)

Sinopse: “Uma premonição salva um adolescente e seus amigos da morte num acidente numa corrida de carro. Na tradição da série, porém, a Morte vai atrás do grupo.”

Análise: A moda do 3D continua e esse filme representa o primeiro deste grupo a chegar aos cinemas desde “Avatar”. Para aqueles que gostam de filmes de terror com muito sangue e são fãs desta série que se iniciou a dez anos atrás, é uma boa pedida e o 3D só acrescenta a experiência. Para o restante, acho melhor pular para a próxima opção.

Ninja Assassino (Ninja Assassin)

Sinopse: “Raizo é um dos assassinos mais mortais do mundo. Tirado das ruas ainda garoto, ele foi transformado em um matador pelo Clã Ozunu, sociedade secreta cuja existência é considerada um mito. Mas assombrado pela execução sumária de uma amiga pelo Clã, Raizo se rebela… E desaparece. Agora ele aguarda, preparando sua vingança com precisão.”

Análise: Este filme foi produzido pelos irmãos Wachowski (diretores da trilogia Matrix) e dirigido por James McTeigue (o mesmo de “V de Vingança”). Na época do anúncia dessa produção, até fiquei empolgado, mas ao ver o trailer e outras prévias, minha empolgação sumiu. Parece ser só mais um filme genérico de ação, sem empolgação e com milhões de câmeras lentas. Prefiro jogar Ninja Gaiden no Playstation 3.

Mother – A Busca pela Verdade  (Madeo)

Sinopse: “Hye-ja é uma viúva e dedica a vida a seu único filho, Do-joon, o principal suspeito de um assassinato. Determinada a provar a inocência do filho, Hye-ja decide encontrar o verdadeiro assassino sozinha.”

Análise: Os filmes coreanos que vejo, sempre me surpreendem. Eles são bem eficazes em contar histórias interessantes, melhor do que seus “primos” chineses e japoneses. Levando isso em conta, este filme me despertou uma certa curiosidade e creio que seria uma boa opção para ver futuramente no conforto de casa.

O que Resta do Tempo (The Time That Remains)

Sinopse: “Elia Suleiman insere memórias autobiográficas em uma realidade de ficção: o que seria dos árabes se os israelenses tivessem vencido a primeira guerra entre eles depois da criação do Estado de Israel?”

Análise: Não conheço nada sobre esse filme, apenas a sinopse descrita acima e o fato dele ter sido produzido na Inglaterra e na França. Para quem curte o tema, pode valer a pena. Para quem acha já batido demais, pode partir pro próximo parágrafo.

À Moda da Casa (Fuera de Carta)

Sinopse: “Chef famoso e dono de restaurante badalado, Max leva uma existência sem qualquer sinal de problema. Porém, quando seus filhos, frutos de um casamento passado, ressurgem em sua vida, Max tem seu cotidiano mergulhado em confusões. E o fato de seu novo vizinho, um ex-jogador de futebol, ser um homem sedutor por quem Max se sente atraído, também não melhora as coisas.”

Análise: Esse filme foi uma das atrações do cine LGBT aqui no Rio no último fim de semana. Parece ser uma típica comédia latina, bem debochada e com a qual nos identificamos mais do que com os besteróis acéfalos norte-americanos. Para quem quer rir, acredito que seja a melhor opção do fim de semana.

High School Musical – O Desafio

Sinopse: “Versão brasileira para o cinema do sucesso do Disney Channel, onde ex-aluna promove na escola onde estudou um concurso musical.”

Análise: Medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, medo, MEDO!

Concluindo: Nesse caso, acho que a melhor opção é mesmo “Guerra ao Terror”, afinal é o favorito ao Oscar e quem não viu, tem que ver para não ficar por fora das conversas sobre o filme. Mas como se trata de um filme que se encontra disponível em DVD há mais de 6 meses, minha sugestão vai ser “Premonição 4 – 3D”, porque eu adoro sangue e em 3D fica tudo mais divertido.

05
fev
10

Heroes S04E18 – The Wall

Eu realmente não mais o que pensar de “Heroes”. Estamos no penúltimo episódio da temporada e eles gastam mais da metade do episódio para contar (mais) do passado de Noah Bennet. Agora sabemos que ele tinha um esposa grávida indiana prima do Mohinder, que foi morta por um especial e, com todo o clichê possível, transformou o Noah nessa pessoa que é hoje. Claro que a filhinha Claire acompanhou tudo de perto e ficou chocada com as atitudes do papai, mas ficou do lado dele e todo o esforço do Samuel pra criar a discórdia não serviu de nada. Assim, o líder do circo fica frustrado  e soterra os dois dentro de um trailer a 15 metros da superfície. Depois de tudo isso, tenho grandes suspeitas de que Noah vai morrer neste último episódio. O caminho traçado leva a crer que esse será o choque de fim de temporada, mas expectativas são criadas para serem frustradas.

Fora isso, vimos Peter e Sylar virarem “best friends forever”. Pelo menos, dessa vez, a coisa foi um pouco (bem pouco) mais plausível, já que Peter e Sylar passaram vários anos presos dentro da cabeça deste último (no mundo real foram apenas algumas horas). Então, depois de sobreviver a sua ducentésima crise existencial, Sylar virou amigo de Peter, que o perdoou. Os dois escaparam da prisão, para salvar a Emma, vulgo surda, mas o homem múltiplo vai tentar impedi-los. Sério… o homem múltiplo vai deter o Peter e o Sylar? Mas em “Heroes”, tudo é possível.

Então, esperemos o último episódio da temporada, que poder o último da série. Semana que vem, “Heroes” pode trazer surpresas para nós.